fbpx

Katharine Santos, nossa Heaf of Finance, conta sobre os desafios e oportunidades de gerenciar finanças em uma Startup

Gerenciar finanças é mais do que um desafio, é uma oportunidade de gerar resultados.

O conceito de finanças de uma empresa é muito maior do que gerenciar a circulação do dinheiro. Administrar com competência as finanças – principalmente de uma startup — é estar constantemente em contato com uma realidade que pode determinar o futuro do negócio ou sua derrocada. Por isso, esse papel é fundamental na organização.

Quando aceitei o desafio de ser head de finanças na Fohat, há pouco mais de um ano, eu já sabia que teria um mega super desafio pela frente. Com experiência de 24 anos em multinacional, resolvi encarar a nova função como uma oportunidade de quebrar paradigmas — os meus, em especial.

Eu vinha de um embasamento sólido nas áreas de Controladoria, Gestão de Risco Financeiro e Trade Finance em operações para América Latina . E pessoalmente já tinha alinhamento pessoal com a transparência no trato das coisas dessa área, mas entrei na Fohat e logo de cara, já entendi que a transparência era algo vital e que eu não podia ter medo de ousar e, muito menos de errar. A inovação também seria algo inserido no contexto no gerenciamento das finanças

Ao encontrar  esse cenário desafiador e promissor eu me dediquei a aprender. Nas primeiras fases do projeto já tinham sido investidos R$2,2 milhões na Fohat, com recursos com origem no Brasil e na Austrália. Isso nos dava fôlego para prospectar potenciais clientes e partir para a fase de Tração, quando atingimos um maior equilíbrio financeiro.

Conquistar a fase de Tração (quando uma startup se consolida efetivamente como uma empresa auspiciosa), é um dos principais compromissos de todos os envolvidos no negócio, desde os investidores aos colaboradores. Mas todo esse processo depende de todos os pensarem e agirem coletivamente em prol do desenvolvimento em busca dos objetivos traçados.

Eu sabia que em todas as fases, o gerenciamento das finanças com competência seria imprescindível. Afinal, era (e continua sendo) um recurso da empresa e sua aplicação correta, determinaria os passos seguintes. Isso exigia muita responsabilidade de minha parte para se transformar em confiança diante dos fundadores e do time.

Foi preciso ter coragem de quebrar processos obsoletos

Sim, e muita coragem ! Como um dos vários exemplos, cito a necessidade de automatizar os sistemas para ter ainda mais credibilidade. Isso exige muito estudo de cada plataforma disponível e uma análise ainda mais minuciosa nos nossos ativos disponíveis e nos que podem entrar. 

Uma startup tem uma característica de viver sob um eterno clima de instabilidade porque ela está justamente testando um modelo de negócio e para tal, muitas vezes tem de abandonar uma rota e iniciar outra logo em seguida. É mais ou menos com um barco em um grande mar aberto que está sujeito a dias de sol , a dias de chuvas e outros de tempestades. Os nossos equipamentos para navegar nesse mar são limitados, mas nos sobra criatividade e fé naquilo que nos propomos a fazer. E como todos as outras áreas, cuidar de Finanças desse ¨barco¨ também exige foco, flexibilidade e respostas rápidas.

Minha jornada pelos estudos e pelo mundo corporativo me ajudam, mas também me baseio muito também nos valores e aprendizados que trago do Grupo dos Escoteiros, ao qual pertenço há 5 anos. Isso me ajuda a ajudar a Fohat, que é uma startup de energy intelligence que se propõe a entregar soluções para o mundo de energia e, com isso, colaborar para uma vida melhor para as pessoas e para o planeta, afinal, praticamente tudo exige energia. Para ler, para estudar, para cirurgias, para construir, fazer ciência, para viajar, para se conectar. Então, olhe o tamanho do desafio que temos pela frente, pois há muita coisa ainda por fazer para que a nossa sociedade tenha uma energia elétrica mais barata e acessível a todos, produzida com mais eficiência sem agredir o planeta. 

Além disso, além de olhar pra frente, precisamos observar o que passou. Ao assumir a gestão financeira da Fohat foi necessário realizar uma análise precisa do passado recente dela. Os números contam uma história. Mostram onde estão os erros e os acertos e apontam o que deve ser feito para evitar armadilhas e equívocos na gestão.

A questão estratégica é uma grande vantagem para gestão financeira, por isso planejamento e organização são vitais para a função. E para saber se está no caminho certo, basta conferir os números e “ler”  essa história.

A Fohat que teve investimento de R$2,2 milhões nos primeiros anos, deve aumentar consideravelmente esse valor e chegar a um investimento de R$ 30 milhões nos próximos anos, com negócios no Brasil, Austrália, Espanha e Chile. A equipe, que começou com dois fundadores e hoje já conta com 15 colaboradores, também deve triplicar nos próximos meses. Essa é uma amostra de que os números podem revelar não só um futuro promissor, mas consolidar o desenvolvimento e conhecimento de mercado de um empreendimento muito bem estruturado, com vida longa, boas oportunidades e soluções inovadoras e essenciais para o futuro.

Texto publicado originalmente em 9 de setembro de 2020 no Linkedin da nossa Head of Finance Katharine Santos

fohacker

Author fohacker

More posts by fohacker

Leave a Reply

en_USEN
pt_BRPT en_USEN